Vegetarianismo e muitas ideias erradas

Sophia Andreazza

Cada vez mais pessoas adotam a dieta vegetariana, mas a questão ainda é cercada de preconceitos e de ideias erradas   

A dieta vegetariana baseia-se no consumo de alimentos de origem vegetal, excluindo do cardápio todos os tipos de carne. É importante salientar a diferença entre veganos e vegetarianos, termos que causam muita confusão no ideário das pessoas. Todo vegano é vegetariano, mas nem sempre o contrário é verdadeiro. Alguns vegetarianos (chamados ovo-lacto-vegetarianos, para ser mais precisa) consomem mel, laticínios (leite, queijo, manteiga) e ovos. Os veganos não. Mas a grande diferença entre eles reside na motivação ideológica e no modo de vida. Veganos boicotam cosméticos testados em animais, não usam roupas de lã, seda, couro e pele e opõe-se ao uso de animais em outras formas de exploração. Os apenas vegetarianos não necessariamente deixam de usar couro, porque estes podem ser motivados a adotar a dieta por questões de saúde, por exemplo. Sendo um sistema de alimentação, o vegetarianismo não necessariamente implica na empatia com os animais ou no reconhecimento da causa pelos seus direitos. Porém, que fique bem claro: vegetarianos não comem frango ou presunto. Não, nem mesmo um peixinho.

Exemplo de prato vegetariano saudável (Foto: Divulgação)

Exemplo de prato vegetariano saudável (Foto: Divulgação)

As razões que podem levar alguém a ser vegetariano são várias e, como já foi dito, nem sempre são morais ou em favor dos animais. Sobretudo desde os anos 80, a consciência popular tem-se focado num regime de vida mais saudável e funcional, e o vegetarianismo é associado a noções de saúde. Paula Lumi, vegetariana há cinco anos, estudante de Design de Produto na Unesp e criadora do site de receitas Presunto Vegetariano diz que adotou a dieta por se ver vivendo num impasse ideológico: “Minha família sempre adotou animais de rua para cuidar. Um dia, lá na época do Orkut, uma pessoa que conheço compartilhou um álbum sobre o consumo de carne de cachorro na China […] Fiquei assustada, indignada, li e concordei com tudo, mas pouco tempo depois parei pra refletir. O consumo de cães (e outros bichos que não comemos) é comum por lá; assim como a vaca, cuja carne é comum em grande parte do mundo, é ao mesmo tempo sagrada na Índia. Aí, fiquei me questionando o por quê de comer uns e criar e proteger os outros. Nesse mesmo dia fui atrás de comentários sobre a dieta vegetariana”. Para a estudante, o número de pessoas que estão optando pelas dietas vegetarianas aumentou nos últimos tempos. “O que mais representa este crescimento do número de adeptos à dieta vegetariana, acredito eu, foi o aumento das opções disponíveis nos mercados e restaurantes, pois aumentou a demanda”, completa.

Exemplo de refeição vegetariana (Foto: Divulgação)

Exemplo de refeição vegetariana (Foto: Divulgação)

O vegetarianismo tem origens na tradição filosófica indiana (quem não sabe sobre as vacas sagradas que andam livremente pelas ruas da Índia?) e difundiu-se no ocidente a partir do século XIX, em alguns países da Europa. Diferente do que muita gente pensa (principalmente a sua mãe e a sua avó, que tem certeza que você ficará anêmico assim que parar de comer carne), uma dieta vegetariana equilibrada é muito saudável e pode atender a todas as necessidades humanas de proteínas, lipídeos, carboidratos, minerais e grande parte das vitaminas, além de frequentemente melhorar os níveis de colesterol e reduzir o risco de doenças cardiovasculares. É importante, no entanto, consultar o nutricionista que indique combinações corretas e nutritivas de alimentos. Como numa dieta convencional, os maus hábitos alimentares podem levar a carências ou a excessos alimentares. É preciso tomar cuidado, principalmente os que não comem carne há mais de três anos, com a deficiência da vitamina B12, a única que não é encontrada em nenhum produto de origem vegetal.

O vegetarianismo não é completamente compreendido pelas pessoas, mesmo hoje em dia. Só quem é vegetariano sabe como é difícil quebrar a barreira de preconceitos que cerca a mente dos familiares e dos seus conhecidos em geral. Todos pensam que você vai ficar doente e com uma severa anemia, que suas opções de cardápio serão restritas a salada acompanhada de salada, que a partir do momento em que parar de comer carne, se resumirá a longos discursos advogando em favor dos animais, tentando convencer todos próximos a você a adotarem a dieta e a concordarem com suas ideias ou que “é só moda, vai passar”.

Pirâmide Alimentar Vegetariana: refeições sem carne podem suprir todas as necessidades energéticas do ser humano (Foto: Divulgação)

Pirâmide Alimentar Vegetariana: refeições sem carne podem suprir todas as necessidades energéticas do ser humano (Foto: Divulgação)

Para Paula, a coisa mais “irritante” na conduta de não-vegetarianos é a típica brincadeira de que as plantas não sentem dor. “Isso me dói demais, embora eu já esteja acostumada e nem ligue mais. Tenho que ficar explicando que plantas não têm sistema nervoso central e, por consequência, não sentem dor alguma… Às vezes me oferecem presunto, mas nem sempre é na maldade. Tinha um conhecido meu que achava que presunto era igual ao queijo, tipo um queijo rosa, algo assim. Acho que é porque é algo bem mascarado. Tanto que quando falo que não como carne, as pessoas associam apenas à carne bovina, e esquecem que frango, porco e inclusive peixes fazem parte do grupo”.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s